O Serviço de Água e Esgoto do Município de Araras está concluindo orçamentos para contratação de empresa que fará avaliação mais precisa das quatro barragens que fazem parte do sistema de represa e captação de água na cidade

“As represas utilizadas pelo Saema (Serviço de Água e Esgoto do Município de Araras) para captação de água estão num bom nível neste verão. Os taludes das barragens mostram segurança necessária”, informa a direção da autarquia, que divulgou ainda estar trabalhando há meses para a implantação de um sistema de monitoramento mais detalhado.

O Saema está concluindo orçamentos prévios para a contratação de uma empresa que irá fazer uma avaliação mais precisa das quatro barragens que fazem parte do sistema de represa e captação de água: Represa Hermínio Ometto, Represa João Ometto Sobrinho (Água Boa), Represa Antônio Meneghetti (Tambury) e Represa Santa Lúcia. Esta última, apesar de ser de propriedade privada, faz parte do complexo de captação da Tambury.

O trabalho desta empresa a ser contratada será para “o Saema ter em mãos um diagnóstico mais preciso dos taludes das barragens, além de possibilitar um monitoramento mais frequente. Esse estudo começou no final do ano passado e a licitação deverá ser aberta até o próximo mês”, explica a direção da autarquia, que garante que as represas estão sob controle.

Após a tragédia registrada em Brumadinho/MG, onde uma represa de lama se rompeu e causou danos irreparáveis, muito se especulou sobre as represas de água onde os municípios fazem sua captação para tratamento. O governo federal recomendou às agências reguladoras a fiscalização de represas usadas para abastecimento de água ou geração de energia, pois são 3,3 mil barragens no País classificadas como de “risco alto” ou com “dano potencial associado alto”. Araras está fora de qualquer tipo de investigação porque suas barragens não fazem parte da relação das investigadas pela Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) e a ANA (Agência Nacional de Águas).

 

Mais notícias

COMPARTILHAR