O Samu Regional de Araras recebeu 22.341 ligações durante o primeiro semestre de 2017. Dessas, 10.927 eram trotes, ligações por engano ou para pedir informações

Maioria das ligações é feita por crianças. Quem for pego praticando este ato poderá ser multado em mais de R$ 1,2 mil

O Samu (Serviço Móvel de Atendimento de Urgência) de Araras registrou mais de 900 trotes durante o ano de 2018. Quem pratica esta brincadeira de mau gosto pode ser multado, já que uma equipe de emergência é enviada para um atendimento falso.

Entre os meses de janeiro e novembro, o serviço regional, que também atende as cidades de Pirassununga e Conchal, recebeu ao todo 23.580 ligações. Em Araras foram 14.482 chamadas de emergências e 987 delas eram trotes.

Cada ligação é um pedido de ajuda e quando o telefone toca no Samu, quem atende chama a equipe de socorristas, que sai pelas ruas da cidade. Tudo para atender uma vítima.

Porém, em muitas ocasiões a vítima não existe. Quando o telefone toca, na maioria das vezes são crianças que estão do outro lado da linha passando trotes. “Hoje a maioria das ligações são de crianças e isso ocorre porque muitas vezes os pais deixam o celular com os filhos para distração. Como o número do Samu é muito fácil de memorizar, elas (crianças) acabam aproveitando para fazer essas brincadeiras, que por fim atrapalham o serviço”, explicou o coordenador de Urgência e Emergência do Samu Araras, Alex Rogério Zaniboni. “O trote é muito prejudicial, tendo em vista no momento em que uma pessoa possa realmente estar precisando de um socorro do Samu, as linhas vão estar congestionadas, pois há alguém passando trotes. Essa brincadeira de mau gosto pode colocar vidas em risco”, alertou.

Zaniboni ainda reforçou que “existe um trabalho intensificado para que os pais orientem os seus filhos o quanto o trote pode prejudicar o atendimento do Samu e que também os ensine a maneira correta de se acionar o socorro, o quanto podem ajudar, por mais que sejam crianças”.

Balanço 2017

Durante todo o ano de 2017 o Samu recebeu o total de 36.143 ligações nas três cidades em que atende. No município de Araras foram 25.464 chamadas, onde 1.710 foram trotes – uma média de quatro por dia. Já em 2016 foram mais de 2 mil pedidos falsos. “Gradativamente isso vem diminuindo, mas é muito importante principalmente que os pais orientem seus filhos a não ligarem para o 192 desnecessariamente. No tempo em que a ambulância se desloca para atender um trote pode entrar uma vítima de verdade e o veículo não estar disponível”, ressaltou Zaniboni.

Segundo a Lei Estadual 14.738/2012, de autoria da deputada Rita Passos (PSD), passar trote é crime e se a ligação falsa for feita para o Samu, a pessoa pode ser multada em mais de R$ 1,2 mil.

Em Araras também foi aprovada a Lei 5.090, de 19 de fevereiro de 2018, de autoria dos vereadores Regina Noêmia Geromel Corrochel (PTB), Felipe Dezotti Beloto (PR) e Marcelo de Oliveira (PRB), sobre a aplicação de multa para os responsáveis por trotes contra o Samu. A multa prevista é de R$ 700,00 por trote realizado, duplicando-se o valor em caso de reincidência.

Outras notícias

COMPARTILHAR