A sessão camarária desta segunda-feira, dia 7, foi marcada pela aprovação de projetos de lei, entrega de homenagens e a conscientização sobre a jornada de trabalho dos profissionais de enfermagem e a violência contra mulheres.

Os vereadores aprovaram o projeto de lei que dispõe sobre a utilização do Centro Cultural “Leny de Oliveira Zurita”, para a realização de eventos culturais e artísticos, bem como a outorga de concessão de uso do espaço destinado a bar. Na prática muda a redação que previa o prazo para concessão de uso do bar existente no local de um ano, sendo prorrogável por igual período. A modificação altera para 60 meses a mesma outorga.

O vereador Marcelo de Oliveira (PRB – Partido Republicano Brasileiro) apresentou emenda aditiva à Lei autorizando o uso do Centro Cultural por quaisquer instituições, inclusive religiosas, para o desenvolvimento de atividades como teatro, apresentações musicais, fotográficas, exposições, festivais, simpósios, debates, seminários e apresentações de coreografias.

Também foi aprovado na sessão nova denominação para via pública do conjunto residencial Prefeito Professor Milton Severino. Por meio de um projeto de Lei de autoria do vereador Carlos José da Silva Nascimento – Zé Bedé (PT – Partido dos Trabalhadores), a rua 17 passa a ser denominada rua Helena Maria de Jesus Gonsalves do Nascimento.

 

Marcelo de Oliveira entrega moção à equipe de combate ao Aedes aegypti

 

Integrantes da Igreja do Evangelho Quadrangular de Araras receberam moções de congratulações. O pedido de entrega foi de autoria do vereador Marcelo de Oliveira (PRB) pelo trabalho do grupo em conjunto com servidores da Secretaria Municipal de Saúde pelos dois “arrastões” pela cidade, nos dias 20 e 27 de fevereiro, buscando eliminar focos do mosquito causador da dengue e da febre Chikungunya e transmissor do Zika Vírus.Homenagem

A ação possibilitou visitas a cerca de 7.000 residências e a retirada de duas toneladas de lixo e resíduos de terrenos baldios.

Falando em nome da equipe, o pastor Fernando Ricardo destacou a união de forças em benefício da comunidade. “A igreja tem tradição de trabalhar com o poder público na busca do bem coletivo. Estamos sempre à disposição da sociedade”, ressaltou ele.

Enio Vitali recebe moção de Erinson Mercatelli
O médico Enio Vitali recebeu moção de congratulação por iniciativa do vereador Erinson Mercatelli (PSB – Partido Socialista Brasileiro), em razão do lançamento do livro autobiográfico “Luzes do Entardecer”, de autoria do clínico geral e cirurgião de 88 anos de idade. Enio

A obra relembra fatos da vida pessoal e profissional do médico que há mais de 60 anos atua no município. O homenageado, que é nascido em São Sebastião da Grama/SP, falou sobre sua relação com Araras, cidade que escolheu para viver. “Sinto-me realizado aqui, pois angariei um grande número de amigos e pude experimentar um certo êxito profissional”, destacou o médico.

Violência contra mulheres é abordada na Tribuna Livre
Para marcar o Dia das Mulheres comemorado ontem, dia 8, a fisioterapeuta Roberta Barbinato, integrante do Conselho Municipal dos Direitos das Mulheres de Araras, ocupou a Tribuna Livre para discorrer sobre a violência contra as mulheres.

Roberta apresentou dados estatísticos sobre o problema. De 1980 até 2013, 106.093 mulheres morreram no Brasil em razão de violência sofrida. Somente em 2013 o número de mortes no país chegou a 4.762. E, em 2014, foram registrados cerca de 47.000 casos de estupros, dentro de um total de mais de 223.000 mulheres atendidas pelo Sistema Único de Saúde – SUS, vitimadas por atos violentos.Roberta

Segundo Roberta, metade dos atos é praticada por pessoas do círculo familiar das vítimas, na maioria, pelos maridos ou companheiros. “Após a aprovação em 2006 da Lei nª 11.340, conhecida como ‘Lei Maria da Penha’, houve uma redução do número de casos de violência. Mas eles voltaram a crescer há alguns anos principalmente porque a impunidade motiva essa prática”, completou ela.

A oradora falou ainda sobre essa situação em Araras. No ano passado foram notificados 53 casos de violência contra mulheres no município. O conselho, empossado há três meses, faz o acompanhamento dos casos, e presta assistência às vítimas.

Os vereadores participaram da discussão, com colocações sobre o tema focalizado.

 

Jornada de trabalho dos profissionais de enfermagem é debatida na 6ª Sessão Ordinária
Ainda na sessão o auxiliar de enfermagem Luciano André Rodrigues falou aos vereadores, a convite da presidência do Legislativo, sobre a adoção da jornada de trabalho de 30 horas semanais para os profissionais da área de enfermagem no município de Araras.

Luciano, que integra o Conselho Regional de Enfermagem de São Paulo – Coren/SP, está visitando cidades do interior, em campanha pela modificação da carga horária da classe.Enfermeiro

De acordo com ele, cerca de 180 municípios já modificaram a jornada para 30 horas semanais, dentro do que foi estabelecido pela 15ª Conferência Nacional de Saúde. “Médicos, dentistas e assistentes sociais já cumprem esse horário. Queremos a regulamentação, não apenas a redução. Estamos procurando um canal de diálogo com os gestores a fim de acabarmos com uma jornada desumana de trabalho para os profissionais, o que poderá colaborar para que haja um atendimento aos cidadãos com mais excelência”, explicou.

Vereadores presentes debateram o assunto e manifestaram seu apoio à regulamentação, que depende de projeto de lei da iniciativa do Poder Executivo Municipal.
(MGC com informações da Diretoria de Comunicação da CMA)

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

*