O plenário do STF (Supremo Tribunal Federal) reconheceu a existência de repercussão geral no Recurso Extraordinário com Agravo (ARE) 785068, em que se discute a incidência de causa de inelegibilidade em caso de condenação nos autos de representação por abuso de poder econômico ou político na sessão desta quarta-feira, dia 7.

O ARE foi interposto contra acórdão do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), que entendeu que “o fato de a condenação nos autos de representação por abuso de poder econômico ou político haver transitado em julgado, ou mesmo haver transcorrido o prazo da sanção de três anos, imposta por força de condenação pela Justiça Eleitoral, não afasta a incidência da inelegibilidade constante da alínea ‘d’ do inciso I do artigo 1º da Lei Complementar 64/1990, cujo prazo passou a ser de oito anos”.

Por unanimidade, os ministros se manifestaram pela existência de repercussão geral do tema eleitoral. O processo foi encaminhado para emissão de parecer do procurador-geral da República e, posteriormente, retorna ao Plenário, para julgamento do mérito.

É importante lembrar que o caso pode beneficiar o ararense Pedro Eliseu Filho (PSDB – Partido da Social Democracia Brasileira) que foi condenado por abuso de poder econômico e uso indevido dos meios de comunicação social, motivo pelo qual foi condenado a inelegibilidade por oito anos.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

*