A SP Escola de Teatro – Centro de Formação das Artes do Palco segue com suas ações pelo interior do estado e abre inscrições para três cursos de extensão, que serão ministrados no Teatro Estadual “Maestro Francisco Paulo Russo”.

Em parceria com a Associação Paulista dos Amigos da Arte (APAA), os cursos abordam as áreas de sonoplastia, iluminação e técnicas de palco. Assim como todas as ações da Escola, os encontros são gratuitos.

As inscrições podem ser feitas pelo site da SP Escola de Teatro: www.spscoladeteatro.org.br/ extensao-cultural-2016/cursos.php

O curso de conhecimento de palco e suas funções técnicas de produção dá noções da dinâmica do palco, suas técnicas e seus técnicos. Por meio das aulas, é possível entender tudo o que um palco precisa para receber um espetáculo de artes cênicas. O curso é orientado por Ligia Pereira e acontece no dia 28 de março a 3 de abril, de segunda-feira a domingo, das 9 às 12 horas, no Teatro Estadual Maestro Francisco Paulo Russo.

Já o curso de técnico de som traz a introdução, a operação e sonoplastia e dá aos alunos noções de montagem e operação de som, sonorização dentro do espaço cênico e sonoplastia criativa. O curso é orientado por André Omote e acontece no dia 28 de março a 3 de abril, das 14 às 17 horas, também no Teatro Estadual.

O curso de técnica de iluminação desenvolve um trabalho prático no qual confronta a teoria com a materialidade da luz e experimentam suas próprias visões e concepções sobre o assunto. A orientadora é Grissel Piguillem. O curso acontece no dia 28 de março a 3 de abril, das 19 às 22 horas no Teatro Estadual.

As inscrições para os cursos acontecem até dia 13 de março pelo site http://spescoladeteatro.org.br/. (Maria Rita Zuliani com informações da Apaa)

 

Orientadores
Lígia Pereira
Lígia Pereira formou-se atriz pela EAD – Escola de Arte Dramática da Universidade de São Paulo, no ano de 1979 e, desde então, atuou no teatro em diversas áreas.

Como atriz, atuou em espetáculos memoráveis como “FLICTS, A ESTÓRIA DE UMA COR”, musical infantil de Ziraldo, direção de Marcio Aurelio (1977); “TIDE MOREYRA E SUA BANDA DE NAJAS”, de Alcides Nogueira, direção de Marcio Aurélio (1977) e “O DESPERTAR DA PRIMAVERA”, de Frank Wedekind, direção de Luiz Roberto Galízia (1978).

Como diretora assistente, nos últimos anos, realizou trabalhos de grande importância para a cena brasileira como “A BILHA QUEBRADA”, de Heinrich Von Kleist, direção de Marcio Aurélio (1994); “A AURORA DA MINHA VIDA”, de Naum Alves de Souza, direção de Gabriel Villela (1997); “CARTA A UMA FILHA” de Arnold Wesker, direção Marcia Abujamra (2007) e “ANATOMIA FROZEN”, de Bryony Lavery, direção de Marcio Aurelio (2009); “MARICA”, de José Cibrián Campoy, direção de Marcio Aurelio; “OE”, de Kenzaburo Oe, direção de Marcio Aurelio, “FILOCTETES”, de Heiner Müller, direção de Marcio Aurelio, entre outros.

Estreou, como diretora, em CABARÉ LITERÓTICO MUSICADO, poesias Eróticas.

Como administradora de teatro: De 1992 a 2007 nos Teatros: RUTH ESCOBAR; SÉRGIO CARDOSO; TEATRO DE CÂMARA DE SÃO PAULO e TUSP.

Entre 2001 e 2005 foi Coordenadora da Cenotécnica do Teatro Municipal de São Paulo

 

André Omote 
Técnico de som formado pelo Instituto de Áudio e Vídeo iniciou sua carreira em 1991 no antigo Teatro do Bixiga. Trabalhou em mais de trinta espetáculos teatrais com diretores como Romero de Andrade Lima, Cristiane Paoli-Quito, Domingos de Oliveira, Gabriel Villela e tantos outros. Além de atrizes como Fernanda Montenegro, Laura Cardoso, Marília Pêra, Cláudia Jimenez e tantas mais. No triênio 2002/2003/2004 participou de quase todos os trabalhos realizados no Teatro Municipal de São Paulo. Foi o técnico de som responsável pela sonorização de balés como Ballet Bejart e Ballet Ópera de Paris, além de grandes óperas, concertos de música erudita, shows de música popular, mostras de teatro.

 

Grissel Piguillem
Em seu país natal, Grissel formou-se em Cenografia, Figurino e Iluminação no curso de Desenho Teatral e, também, em Desenho Gráfico/Comunicação Visual, ambas pela Escola Municipal de Arte Dramática (Emad). Seus trabalhos de iluminação mais notáveis são as exposições “29° Bienal de Arte de São Paulo” e “Rodin e Chagall”, além de espetáculos da Cia. de Teatro da Vertigem. Ainda no Uruguai, trabalhou com Hugo Millán e Paula Villalba nos principais teatros do país. No Brasil, atuou em parcerias em cenografia com Marisa Bentivegna e J. C. Serroni.

Maria Rita Zuliani com informações da Apaa.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

*