Equipamentos fazem parte do processo de revitalização do Parque Ecológio Gilberto Rüegger Ometto, na região leste Crédito: Sérgio Calori/Secom
Equipamentos fazem parte do processo de revitalização do Parque Ecológio Gilberto Rüegger Ometto, na região leste
Crédito: Sérgio Calori/Secom

As estruturas para as práticas de tirolesa e de arvorismo já começaram a ser instaladas no Parque Ecológico e Cultural “Gilberto Ruegger Ometto”.

Segundo a Secretaria Municipal de Planejamento, Gestão e Mobilidade, a tirolesa passará por cima de um dos lagos do espaço de lazer e terá 150 metros de extensão por seis metros de altura. Já o circuito de arvorismo terá 105 metros de comprimento. As estações serão instaladas de três a seis metros de altura, nas copas de árvores. A instalação dos equipamentos é de responsável da empresa ararense Antonio Carlos Geromel Portilho M.E., vencedora de licitação.

“O prazo para execução da obra, em contrato, é de 90 dias. Nestes 30 dias de trabalhos, o andamento dos serviços tem evoluído bastante, com a instalação das estruturas, entre outros dispositivos. Após a revitalização e a instalação desses novos equipamentos, o Parque Ecológico, que já é considerado um dos principais cartões postais da cidade, receberá ainda mais visitantes e turistas de outras cidades”, comentou a coordenadora de projetos da Secretaria Municipal de Planejamento, Marina Vianna Barreti.

A tirolesa é uma atividade esportiva que consiste em um cabo aéreo ancorado entre dois pontos, pelo qual o praticante se desloca por meio de roldanas conectadas por mosquetões a um arnês. Tal atividade permite ao praticante a sensação de “sobrevoar” o terreno, sem exigir esforço físico. O projeto prevê a construção da estrutura de sustentação do cabo aéreo “cortando” diagonalmente um dos lagos do Parque, de uma margem a outra.

Já o arvorismo são passeios em trilhas previamente instaladas em árvores. Neste caso, as árvores servem apenas como torres de suporte para equipamentos fixos, utilizadas em atividades lúdicas, esportivas e turísticas. A estrutura de madeira está sendo instalada serpenteando árvores existentes no Parque.

Tanto a tirolesa quanto o arvorismo são atividades incentivadas pelo Comtur (Conselho Municipal de Turismo). “Sabemos que estas práticas esportivas atraem turistas e reforçam ainda mais o potencial de Araras”, observou a presidente do Conselho, Ana Deguchi.

 

Concessão

 

Paralelamente à instalação dos equipamentos, o Executivo Municipal também encaminhou à Câmara Municipal o projeto de lei n°. 24/2016, que autoriza a implantação do serviço público de arvorismo e tirolesa no Parque Ecológico e outorga, mediante concessão de direito real de uso, os serviços, a administração e sua exploração. O documento está em tramitação no Legislativo.

De acordo com o projeto, a empresa será escolhida via licitação na modalidade concorrência pública e a concessão pressupõe  a  prestação  de serviço adequado ao pleno atendimento dos usuários. À empresa caberá cumprir com a modernidade das técnicas, dos equipamentos e das instalações, bem como a sua conservação e a melhoria e expansão do serviço.

Para utilização do serviços será cobrada tarifa que deverá ser fixada na proposta vencedora da licitação. O prazo da concessão será de no máximo de 20 anos, ficando sua prorrogação condicionada à autorização legislativa.

Todas as melhorias já existentes ou a serem realizadas nas áreas objeto da concessão de uso, ficarão definitivamente incorporadas ao Patrimônio do Município, sem que o concessionário tenha o direito de qualquer indenização.

 

(Gabriela Grigoletto)

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

*