Instituição decidiu que 1.499 das 11.057 vagas do vestibular 2016 serão preenchidas por meio da nota do Enem 2015

A USP (Universidade de São Paulo) aprovou a adesão parcial do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) e do Sisu (Sistema de Seleção Unificada) como forma de ingresso aos cursos de graduação oferecidos pela instituição, cujas vagas podem ser consultadas no site www.usp.br. A medida foi aceita pelo Conselho Universitário (CO), em sessão realizada na última terça-feira, dia 23.

Instituição decidiu que 1.499 das 11.057 vagas do vestibular 2016 serão preenchidas por meio da nota do Enem 2015
Instituição decidiu que 1.499 das 11.057 vagas do vestibular 2016 serão preenchidas por meio da nota do Enem 2015

Segundo a proposta aderida na reunião, classificada como “histórica” pelo reitor da USP, Marco Antonio Zago, a instituição decidiu que 1.499 das 11.057 vagas do vestibular 2016 serão preenchidas por meio da nota do Enem 2015. A adesão é considerada “experimental” pela universidade. O resultado foi definido por ampla maioria: 91 conselheiros votaram a favor, 10 votaram contra e houve uma abstenção.

O Conselho Universitário é a instância máxima de decisão da USP. A proposta aprovada passou por vários níveis de discussão. Em 18 de junho, ela já havia sido aprovada. No documento, unidades que oferecem alguns dos cursos mais concorridos, como a medicina e em São Paulo, o audiovisual e a engenharia, ficaram de fora da adesão ao Enem. Outros, como direito no Largo São Francisco e relações internacionais, passam a oferecem vagas pelo Sisu.

O valor representa 13,5% do total de vagas nos cursos de graduação da USP, mas a decisão de aderir ou não ao Sisu é feita em cada unidade. A Faculdade de Medicina da Capital, por exemplo, se recusou a aderir ao Enem. Já a Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto terá 10% das vagas selecionadas pelo Sisu e 90% pela Fuvest.

 

Cotas

Ao definir se queriam ou não aderir ao Enem, as unidades também definiram quantas vagas pretendem oferecer em cada modalidade de concorrência. O Sisu tem diferentes opções: ampla concorrência e reserva de vagas (para estudantes de escola pública, autodeclarados negros, pardos e indígenas que cursaram a rede pública, e segundo a renda familiar – candidatos com renda de até 1,5 salário mínimo que tenham cursado escola pública e candidatos na mesma situação, mas autodeclarados negros, pardos e indígenas).

No total das 1.499 vagas destinadas ao Sisu, a grande maioria (1.159) deve ser reservada para estudantes da rede pública. Isso significa que, pela primeira vez, a USP terá garantia de que pelo menos 10,5% das vagas da Fuvest serão preenchidas por estudantes que fizeram o ensino médio na rede pública.

Parte dessas vagas será reservada para cotas raciais em 14 cursos: Bacharelado em Sistemas de Informação, Licenciatura em Ciências da Natureza, Educação Física e Saúde, Gerontologia, Obstetrícia, Bacharelados em Têxtil e Moda, Lazer e Turismo e Gestão Ambiental, Gestão em Políticas e Marketing na USP Leste, Saúde Pública nas Clínicas, Fonoaudiologia em Bauru, Psicologia e Relações Internacionais em São Paulo. Porém, o número exato não foi informado por todas as unidades. (Com informações do portal G1)

 

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

*