A Polícia Federal deflagrou a 24ª fase da Operação Lava Jato com mandados de busca e apreensão na casa do ex-presidente da república, Luiz Ignácio Lula da Silva (PT – Partido dos Trabalhadores) na manhã de ontem, dia 4. O petista foi liberado depois de 3 horas. A reportagem do Opinião questionou o vereador pela sigla Carlos José da Silva Nascimento – Zé Bedé e a oposicionista Anete Monteiro Casagrande (PSDB – Partido da Social Democracia Brasileira).

De acordo com vereador petista Carlos José da Silva Nascimento – Zé Bedé, ele tem um posicionamento bem tranquilo sobre esse assunto. “Sempre defendi que aquele que deve tem que pagar pelos seus erros. No entanto, o ex-presidente Lula se demonstrou bem tranquilo sobre esse assunto e não sou eu que vou fazer esse pré-julgamento. Por outro lado, essa operação contra ele, beira sim ao exagero, porque ele vem colaborando com a Justiça e não se negou a dar depoimentos” ressaltou.

O legislador afirmou ainda que tudo indica que o objetivo realmente é destruir o PT, porque estão envolvidos na Lava Jato parlamentares de várias legendas, mas pouco se falam sobre isso, como é o caso do Partido Progressista (PP) que está no topo da lista, com 31 políticos envolvidos. “A imprensa também fala muito pouco das investigações que apura superfaturamento no fornecimento de merenda escolar, com pagamento de propina a agentes públicos do governo Geraldo Alckmin (PSDB) e o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Fernando Capez, também tucano. Realmente o alvo é o PT, mas independente disso, respondo pelas minhas ações, respeito às lideranças do meu partido e a Justiça e espero que em breve tudo seja esclarecido. Peço ainda que a sociedade veja os dois lados e para isso, acesse inclusive a coletiva que o ex-presidente Lula deu para a imprensa, apresentando sua defesa”, completou.

Já a vereadora Anete Monteiro Casagrande (PSDB) apoiou a imparcialidade da Justiça sobre o assunto. “O Governo Federal utiliza sempre o mesmo discurso para desqualificar a ação legítima da Polícia Federal. Acordamos nessa sexta-feira com a sensação de que as instituições estão funcionando e que as leis devem ter a mesma medida para qualquer cidadão, independente de cargo que ocupa ou ocupou, como é o caso do ex-presidente Lula. Agora o povo deve mostrar a sua força e a sua indignação contra a corrupção que assola o país”.

É importante ressaltar que o ex-presidente Lula da Silva disse na tarde desta sexta-feira , dia 4, que se sentiu “prisioneiro” por ter sido levado coercitivamente para prestar depoimento à Polícia Federal. Ele foi alvo da 24ª fase da Operação Lava Jato, além do depoimento, foi realizada busca a apreensão em sua casa, na sede do Instituto Lula e outros locais ligados ao petista. Investigadores suspeitam que o ex-presidente tenha recebido vantagens indevidas de empreiteiras suspeitas de desvios na Petrobras.

A Associação Paulista do Ministério Público (APMP), entidade que representa mais de 3 mil promotores e procuradores de Justiça, da ativa e aposentados, do Estado de São Paulo, publicou uma nota para externar “o seu apoio aos nossos colegas Procuradores da República, do Ministério Público Federal do Paraná, pela atuação na Operação Lava Jato”.

 

(Maria Gabriela Córnia)

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

*