Inauguração acontece na próxima segunda, dia 15, feriado municipal. Crédito: Secom
Inauguração acontece na próxima segunda, dia 15, feriado municipal.
Crédito: Secom

A Casa da Memória de Araras “Pedro Pessotto Filho”, que será inaugurada segunda-feira, dia 15, às 10 horas, foi implantada graças a investimentos da iniciativa privada.

A revitalização do Solar Benedita Nogueira, que envolveu o restauro das instalações e reforma geral do prédio, contou com investimentos próprios da Prefeitura de Araras. No entanto, o projeto museológico de implantação da Casa foi financiado pela Nestlé S.A. do Brasil, por meio de duas leis de incentivo fiscal: a Lei Rouanet, do Governo Federal, e o Proac (Programa de Ação Cultural), desenvolvido pela Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo.

A Lei Rouanet institui políticas públicas para a cultura nacional e permite incentivos fiscais às empresas (pessoas jurídicas) e cidadãos (pessoa física), que podem aplicar uma parte do IR (Imposto de Renda) devido em ações culturais. Os percentuais disponíveis são 6% para pessoas físicas e 4% para pessoas jurídicas.

Já o Proac permite que empresas possam destinar até o limite de 3% do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) devido a projetos culturais, modalidade do programa chamado de Proac ICMS.

A Lei Rouanet já foi utilizada com êxito em Araras para captação de recursos que viabilizaram a restauração do Centro Cultural Leny de Oliveira Zurita (antiga estação da Fepasa), realizada pelas empresas Nestlé e Citrovita.

“Mais uma vez, a parceria público-privada tem rendido bons resultados. A Casa da Memória terá uma função primordial para que o ararense possa valorizar a memória e seu povo. A preservação da história da cidade é responsável por impulsionar ainda mais seu desenvolvimento não só econômico, mas também humano. A Casa é interativa, moderna e traz um novo conceito de museu para região. Sem a ajuda da Nestlé, a implantação deste equipamento, talvez inédito no Estado, não seria possível”, afirmou o prefeito Nelson Dimas Brambilla.

 

Projeto museológico

 

O projeto de instalação da Casa da Memória ficou a cargo da empresa Arquiprom, que elaborou um plano museológico. O plano consistiu em pesquisa documental, bibliográfica e iconográfica; além da implantação de plano de gestão documental contendo produção, projeto e instalação de exposição de longa duração; atividades interativas e peças audiovisuais.

O projeto museológico foi realizado em duas etapas. A primeira consistiu na pesquisa documental e captação de recursos e a elaboração do plano em si. A segunda etapa é o projeto executivo de implantação da Casa da Memória.

A Casa da Memória será uma espécie de museu que irá reunir, organizar, preservar e divulgar registros visuais, sonoros, bibliográficos e documentais relacionados à memória da cidade.

O local ainda terá espaço multiuso para realização de palestras, workshops, lançamentos de pequenas exposição temporárias; sala para exposições de longa duração para mostrar e contar fatos marcantes da cidade e da comunidade, com textos, imagens, interatividade e acervo relevante; salas de ação educativa para atividades com famílias, escolas e demais grupos, além de uma pinacoteca com acervo existente de obras de arte para narrar trechos e fatos históricos, tudo isso com instalação de som e efeitos de luz sincronizados.

Além disso, umas das principais propostas da Casa da Memória Pedro Pessotto Filho é registrar a história da cidade, por meio da captação da memória oral e depoimentos dos cidadãos ararenses. A intenção é disponibilizar uma sala com cabine para captação de depoimentos e da memória oral permanente. Todo o conteúdo gravado será incorporado ao banco de dados da Casa da Memória, para alimentar e dar subsídios a pesquisas históricas sobre a cidade.

 

Funcionamento

 

A Casa da Memória irá funcionar de terça a sexta-feira, das 10 às 19 horas, e aos sábados, das 10 às 17 horas. Já às quartas-feiras, das 7h30 às 10h30, será realizado um atendimento especial para receber alunos de escolas públicas e particulares de Araras, para atividades educativas.

Uma programação fixa de atividades já foi idealizada para ser realizada semanalmente e contém uma série de projetos de atrações culturais – música, teatro, artes plásticas, rodas de debates e palestras sobre temas recorrentes à memória e história do município, exposições, entre outras intervenções.

 

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

*