Além de presenças políticas, populares também prestigiaram a pré-candidatura de Pedrinho. Crédito: Gabriela Grigoletto
Além de presenças políticas, populares também prestigiaram a pré-candidatura de Pedrinho.
Crédito: Gabriela Grigoletto

O pré-candidato a prefeito de Araras Pedro Eliseu Filho (PSDB – Partido da Social Democracia Brasileira) lançou oficialmente sua pré-candidatura na manhã de sexta-feira, dia 15 de julho, em seu escritório, na rua José Bonifácio. Estima-se, segundo a organização do evento, que cerca de 300 pessoas estiveram no lançamento da pré-candidatura de Pedrinho. Presentes no evento e compondo a mesa junto ao pré-candidato, estavam Carleto Denardi, presidente do PSDB em Araras, vereadora da sigla Anete Monteiro dos Santos, vereador coligado ao partido Dú Segurança (PHS- Partido Humanista da Solidariedade), deputado estadual Aldo Demarchi (Democratas), da cidade de Rio Claro/SP e Pedro Eliseu Sobrinho, pai de Pedrinho e ex-prefeito da cidade de Araras.

Além deles, marcaram presença no encontro os presidentes dos partidos coligados ao PSDB em Araras, Douglas Marcucci, presidente do PHS; Carlos Cerri Júnior, presidente do PMDB (Partido do Movimento Democrático Brasileiro); Helder Bovo, presidente do Solidariedade 77; Cláudio Armelim, presidente do Democratas; Eduardo Oliveira, presidente do PTC (Partido Trabalhista Cristão); Vinícius Zaniboni, presidente do PV (Partido Verde); Secretário da coordenadoria regional do PSDB, Vanderlei Carvalho; Rogério Ulson (PMDB), prefeito de Analândia; Pedrinho Kuhl (DEM), ex-prefeito da cidade de Limeira/SP; Claudinho Cosenza, coordenador regional do PSDB o ex-vereador de Iracemápolis, além do ex-deputado, Benedito de Campos, entre outras presenças políticas.

Antes de fazer seu pronunciamento, o presidente do PSDB de Araras, Carleto Denardi, deu abertura ao evento dizendo que Pedrinho foi injustiçado no passado, mas agora a notícia vinda do Supremo Tribunal Federal trouxe alivio para o partido. “Todos sabem que o processo do afastamento do Pedrinho é um verdadeiro imbróglio sem grandes motivações. Mas, Pedrinho é forte, tem fibra, soube aguentar essa pressão e ainda tentando levantar a moral de todos aqueles que o acompanhavam. Vamos fazer uma campanha serena e mostrando que não temos nenhum tipo de raiva”, declarou.

Além dele, o deputado estadual Aldo Demarchi também parabenizou Pedrinho pelo lançamento da pré-candidatura e mostrou total apoio aos projetos do pré. “Sou Democrata, um parceiro fiel ao PSDB. Essa é uma demonstração da verdadeira liderança, acho que sempre é tempo das injustiças serem reparadas, e elas são reparadas não a força, mas vem gradativamente. Agora é o tempo do Pedrinho, estamos no tempo certo”, declarou Demarchi.

Com a palavra, Pedrinho apontou seu ponto de vista sobre os problemas atuais da Administração Pública. Além disso, Eliseu também citou alguns dos projetos que tem em mente para desenvolver em Araras, principalmente ressaltando os segmentos de maior carência, como saúde pública, segurança, economia e trânsito. “Se conseguirmos chegar até lá quero mudar todo o aspecto de segurança no trânsito. Ela precisa ser revista, a tese que defendo é de ter radares apenas fixos com placa avisando e não essa indústria que tem arrebentado o cidadão do bem com guarda municipal escondido para tentar surpreender as pessoas”, disse.

Ainda durante seu pronunciamento, Pedrinho afirmou que quem for Prefeito de Araras precisa antes de tudo, deixar de lado as indiferenças e apenas somar para o bem do povo. “Quero ser prefeito de Araras para melhorar minha cidade, pois me preparei para esse momento e senti na pele como é difícil alguém sofrer quando é injustiçado com alguma coisa”, declarou.

A convenção partidária para definir a chapa do pré-candidato, está agendada para o dia 5 de agosto, às 19 horas na Câmara Municipal de Araras.

 

Situação Judicial de Pedrinho

 

Em 2008, mesmo sendo eleito Prefeito de Araras nas urnas, Pedrinho teve o mandato cassado sete meses depois de assumir o cargo. O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) entendeu que, ainda durante a fase eleitoral, o candidato tinha usado um jornal da cidade para fazer campanha. Depois do registro feito para estas eleições, a pedido do Ministério Público, o TSE retomou o caso e prorrogou a inelegibilidade por oito anos, com base na lei da Ficha Limpa.

Nesta semana, na última quarta-feira, dia 13, o ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), indeferiu liminar por meio da qual o procurador-geral da República buscava suspender os efeitos de decisão da Justiça Eleitoral que deferiu pedido de quitação eleitoral em favor do político sul-mato-grossense Nelson Cintra Ribeiro. Na decisão, tomada na Reclamação (RCL) 24224, o ministro afirmou que ainda está em análise no STF a tese da possibilidade de aplicação do prazo de oito anos de inelegibilidade, por abuso de poder, às situações anteriores à Lei Complementar 135/2010 (Lei da Ficha Limpa), como é o caso dos autos.

Na ação, o procurador-Geral da República, Rodrigo Janot, questiona acórdão do Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul que deferiu a expedição de quitação eleitoral a Nelson Cintra Ribeiro. Ele foi condenado por abuso de poder político, por fatos referentes ao pleito de 2008, à inelegibilidade de três anos, conforme a redação anterior da Lei 64/1990, alterada posteriormente pela Lei da Ficha Limpa. Segundo Janot, a decisão afronta a autoridade do Supremo assentada no julgado das Ações Declaratórias de Constitucionalidade (ADCs) 29 e 30 e da Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) 4578, nas quais, segundo alega, a Corte entendeu ser possível a aplicação da Lei da Ficha Limpa a fatos anteriores a sua vigência.

O Juiz Luiz Corte que está na coordenação jurídica de Pedrinho Eliseu espera que a campanha não tenha tantos problemas como teve em 2008. “Posso garantir, tanto o período de pré-campanha como de campanha, nós vamos trabalhar na maior normalidade possível”, comenta.

(Gabriela Grigoletto)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

*