A 27° Sessão Ordinária do Legislativo aconteceu na última segunda-feira, dia 1°. Crédito: Câmara Municipal de Araras
A 27° Sessão Ordinária do Legislativo aconteceu na última segunda-feira, dia 1°.
Crédito: Câmara Municipal de Araras

A Câmara Municipal aprovou projetos de leis que denominam seis ruas e uma praça da cidade, durante sua 27ª Sessão Ordinária, na última segunda-feira, dia 1°.

A primeira propositura é de autoria do vereador Eduardo Elias Dias – Du Segurança (PHS), e dá o nome de rua João Polisel a rua 10 do residencial Jardim Myriam, localizado na avenida Luiz Carlos Tunes (via Novela). Polisel foi um destacado funcionário da empresa Nestlé e participante da vida religiosa e social de Araras.

O vereador Mário Corochel Neto – Bonezinho (PTB) é o autor do projeto que denomina de rua Aline Roberta Viola Oiwa a atual rua 11 do mesmo Jardim Myriam. Aline faleceu recentemente, ainda muito jovem, depois de enfrentar corajosamente sérios problemas de saúde.

É de autoria do vereador Francisco Nucci Neto (PR) a proposta aprovada de denominação da rua 1 do Jardim das Araras I como rua Aristeu Franzini. O homenageado foi funcionário da antiga Coletoria Federal do município, além de atuante em ações nos setores religioso, social e recreativo.

Outra propositura votada, da vereadora e presidente da Câmara, Magda Carbonero Celidorio (Rede), dá o nome de Nadyr Rodini Vansetti à via pública conhecida como rua 1, também do Jardim Myriam. Nadyr foi uma conhecida professora e ativa participante do Lions Clube, engajada em outras causas sociais no município.

Também foi aprovado o projeto de lei de autoria do vereador Erinson Mercatelli (PSB) que denomina de Lovido Campagnollo a rua 2 do Jardim Myriam. Nascido em Limeira/SP, o homenageado mudou-se para Araras a fim de trabalhar na Usina Santa Lúcia, onde aposentou-se.

O vereador Breno Zanoni Cortella (PDT) foi o autor da proposição que dá o nome de rua José Palhares Lemos à rua 1 do loteamento industrial fechado localizado próximo ao Distrito Municipal Industrial III. Natural de Rio Claro/SP, Lemos radicou-se em Araras, dedicando-se à agropecuária e contribuindo para o desenvolvimento local.

Mais uma proposição do vereador Márcio Corochel Neto – Bonezinho (PTB) foi votada, denominando de praça Antonia Corroquel da Silveira o Sistema de Lazer do Jardim das Araras I. A homenageada foi uma mulher de vida cristã e dedicada mãe de família.

Os projetos aprovados serão encaminhados na forma de autógrafo para eventual sanção e promulgação do prefeito municipal.

 

Câmara aprova em Sessão Extraordinária residência médica na Rede Municipal de Saúde

 

O projeto de lei que autoriza o Poder Executivo a celebrar convênio para realização de residência médica na Rede Pública Municipal de Saúde foi aprovado pela Câmara Municipal. A votação aconteceu durante a 4ª Sessão Extraordinária, na noite da última segunda-feira, dia 1°, logo após a 27ª Sessão Ordinária do Legislativo.

De autoria do mesmo Executivo, a propositura visa a celebração de convênio do município com instituições de ensino superior e a Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de Araras. Trata-se de uma exigência da legislação federal para a instalação do curso de medicina na cidade.

O projeto aprovado será encaminhado na forma de autógrafo para eventual sanção e promulgação do prefeito municipal.

 

Orquestra de Violeiros recebe moção da Câmara Municipal

 

A Câmara Municipal fez a entrega de moções de congratulações à Orquestra de Violeiros de Araras e aos seus integrantes pelos seus 12 anos de existência. A homenagem foi realizada na última segunda-feira, dia 1°, durante a 27ª Sessão Ordinária do Poder Legislativo.

A proposição é de autoria da presidente da Câmara, vereadora Magda Carbonero Celidorio (Rede).

Fundada pelo músico e compositor ararense Mazinho Quevedo, a orquestra é mantida pela Secretaria Municipal de Ação Cultural e Cidadania, e dedica-se ao resgate da música sertaneja de raiz.

Luiz Alexandre Braz Pinto – Xandão, atual coordenador do grupo musical, comentou sobre o trabalho desenvolvido. “Somos os responsáveis por manter essa tradição. E, cada vez mais, arrebanhando o público carente de boa música, sempre na contramão da mídia, que anda oferecendo produtos comerciais. Então, por uma questão de identidade, a gente não pode deixar de lado quem somos”, disse ele.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

*